Demissões na Netflix (NFLX) puxam ações

Gigante de streaming anuncia o corte de 300 colaboradores

A gigante de streaming Netflix (NFLX) anunciou, nesta quinta-feira (23/06) uma redução no quadro de colaboradores. No comunicado, a empresa se desculpou ao anunciar a decisão.

“Hoje, infelizmente, demitimos cerca de 300 funcionários. Enquanto continuamos a investir significativamente no negócio, fizemos esses ajustes para que nossos custos cresçam de acordo com nosso crescimento mais lento de receita. Somos muito gratos por tudo o que eles fizeram pela Netflix e estamos trabalhando duro para apoiá-los nessa difícil transição”, disse o porta-voz. Essa seria a última rodada de demissões iniciada em maio, quando a streaming demitiu 150 pessoas.

Nas negociações de ontem, logo depois do comunicado, as ações NFLX caíram forte e acumulando perdas em mais de 70% no ano. Além disso, o Bank of America reduziu o preço-alvo dos papéis de US$ 240/ação para US$ 196. Nesta sexta-feira, a NFLX estava em alta de 7,50% a US$ 189,32.

Decisão e resultado

Em novembro de 2021, os preços das ações da Netflix atingiram US$ 690 (valor de mercado de mais de US$ 300 bilhões). Esse valor foi divulgado antes da companhia constatar a queda nas cobranças via cartão de crédito.

No primeiro semestre deste ano, a NFLX viu a queda de 200 mil usuários até abril. A companhia também interrompeu os serviços na Rússia, no que seria uma sanção por conta da invasão da Ucrânia por Moscou.

Para o restante do ano, as projeções não são animadoras e apontam para a queda de 2 milhões de usuários. Na divulgação dos resultados financeiros, a companhia disse que a concorrência está elevada com o surgimento de novas plataformas de streaming, bem como dificuldade para encontrar novos títulos.

A decisão da NFLX deverá ser seguida por demais empresas de tecnologia. Muitas pretendem congelar as contratações.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.