Bradesco (BBDC) vê lucro em R$7,04 bi

Alta foi de 11,4% ante o mesmo período do ano passado

O Bradesco (BBDC4) ficou com luro líquido recorrente de R$7,04 bilhões, alta de 11,4% no segundo trimestre de 2022. O lucro contábil ficou em R$7,07 bilhões, alta de 18,4% ante o segundo trimestre do ano passado.

O Retorno Anualizado sobre Patrimônio Líquido Médio (ROAE) avançou 18,1% e o Retorno Anualizado sobre Ativo Médio (ROAA) subiu 1,6%. O índice de Basileia teve queda de 1 p.p para 15,6%.

A carteira de Crédito ficou em R$ 855,4 milhões, alta de 17,7%. O total das receitas de prestação de serviços ficou em R$8,9 bilhões, com alta no comparativo de 12 meses a 6,7%.

O índice de inadimplência Pessoa Física foi de 4,8% no 2T22, ante os 3,4% de igual período do ano passado. Já para Pessoa Jurídica, em que estão incluídas as micros, pequenas e médias empresas, a inadimplência ficou em 3,9%, acima do mesmo período do ano passado (2,6%), e também acima do primeiro trimestre deste ano (3,6%).

Para as grandes empresas, com atraso em mais de 90 dias, o Bradesco registrou apenas 0,1% e estável com o 1T22.

A inadimplência acima de 90 dias fechou junho em alta de 3,5%, ante os 3,2% do primeiro trimestre deste ano.

A despesa de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD), que são aqueles que indicam as possíveis perdas que o banco poderá ter pelo não pagamento, subiu R$10,1 bilhões no 1S22, alta de 37,3% no comparativo anual.

Por fim, a margem financeira ficou em R$16,3 bilhões, com margem de clientes em alta de 25,8%, spread de 10% e ficando em R$16,947 bilhões.

*Acompanhe mais destaques dos mercados também nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.