Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): XP inicia cobertura das farmacêuticas com Compra

A XP Investimentos iniciou a cobertura das farmacêuticas Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3) com recomendação de compra.

“Estamos iniciando a cobertura do setor farmacêutico brasileiro com recomendação de Compra para Blau, com preço-alvo de R$64 por ação, e 35% de potencial de valorização, bem como para Hypera, com preço-alvo de R$ 48 por ação, sendo 32% de potencial de valorização”, informou.

E acrescentou: “em nossa visão a indústria farmacêutica deve continuar se beneficiando de um cenário de crescimento muito positivo e vemos as duas empresas bem posicionadas em seus segmentos – institucional e varejo, respectivamente – para aproveitar essa oportunidade de crescimento.”

“Embora tenhamos uma recomendação de Compra para ambas as ações, nossa preferência é pela Blau, pois vemos o mercado institucional com maiores barreiras de entrada em relação ao varejo devido à maior complexidade de seus produtos”, frisou.

Blau e Hypera: tese da XP

  • Blau

Nossa recomendação de Compra é baseada nas perspectivas de crescimento devido a: i) desenvolvimento de novos medicamentos por meio de pesquisa e desenvolvimento “P&D”; ii) o aumento da capacidade de produção; e iii) a dinâmica positiva do mercado. Vale destacar que a Blau possui um histórico de crescimento surpreendente (CAGR ’14-20: +36% na receita, puramente orgânico) e continua investindo em P&D (crescimento de 6x em projetos de P&D) e em capacidade produtiva adicional (R$700 M para ser investido em uma nova planta). Portanto, estamos confiantes de que a empresa deve continuar a aumentar suas vendas, levando a um CAGR ’20-23 para o lucro de +26%.

  • Hypera

Nossa recomendação de Compra também se baseia nas perspectivas de crescimento. Embora o desempenho recente tenha sido abaixo da média (receita: CAGR ’16-20: +6% vs +14% da indústria), acreditamos que agora a empresa deve ser capaz de apresentar um crescimento mais forte devido: i) ao aumento da capacidade em sua planta de genéricos (+44% ’21 vs ’19); ii) ao amadurecimento de seu centro de P&D: Hynova (2017), o que deverá permitir um lançamento de produtos mais consistente; e iii) à dinâmica positiva do mercado. Vale destacar também que a empresa possui um portfólio de marcas muito forte em OTC¹, RX² e Genéricos, o que é fundamental para o segmento de varejo. Esperamos um CAGR ‘20-23 para o lucro de +14%, ou +20% se excluirmos o impacto positivo de R$200 milhões de uma indenização de acionistas em 2020.

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais