Apple (AAPL) mantém a força com a Receita em R$97,3 bilhões

Programa de recompra de ações foi aprovado em US$ 90 bilhões

A Apple (AAPL) divulgou o resultado do segundo trimestre fechado em 26 de março. Os números surpreenderam, principalmente, com a companhia superando a crise na cadeia de suprimentos para a fabricação de seus produtos.

A receita subiu para US$ 97,3 bilhões, contra US$ 93,98 bilhões esperados pela Bloomberg. A alta foi de 9,0% ano a ano e lucro trimestral por ação diluída de US$ 1,52.

A receita com a venda do iPhone ficou em US$ 50,57 bilhões contra US$ 49,16 bilhões; com a venda do Mac subiu para US$ 10,44 bilhões contra os US$ 9,23 bilhões aguardados; a do iPad atingiu os US$ 7,65 bilhões contra US$ 7,19 bilhões esperados; a de wearables recuou para US$ 8,81 bilhões contra US$ 8,98 bilhões esperados; e a de serviços atingiu os US$ 19,82 bilhões contra US$ 19,78 bilhões esperados.

“Os resultados recordes deste trimestre são uma prova do foco incansável da Apple em inovação e nossa capacidade de criar os melhores produtos e serviços do mundo”, disse o CEO da Apple, Tim Cook, em comunicado.

O dividendo que a Apple vai distribuir é de US$ 0,23 por ação ordinária, alta em 5%. A previsão de pagamento é no dia 12 de maio de 2022 aos acionistas registrados no fechamento dos negócios em 9 de maio de 2022. Algo em torno de US$27 bilhões.

Outra decisão que agradou o mercado e aprovado pelo Conselho de Administração foi o programa de recompra de ações de US$ 90 bilhões.

Mais detalhes sobre os números serão apresentados em teleconferência amanhã.

*Com apoio de agências internacionais

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de ENTRAR NO CANAL DO TELEGRAM: Acesse

Já pensou em investir 1 mil reais e transformar isso em 1,900 reais? Quer saber como? Acesse aqui

você pode gostar também

Comentários estão fechados.