FUNDO DI É A MELHOR OPÇÃO PARA A RESERVA DE EMERGÊNCIA

Saiba o que é e aprender investir

Você sabe o que é um cofre ou reserva de emergência? Já tem? Quer aprender a fazer ou organizar melhor seu cofre? Sabe o que é um cofre de emergência? Eu quero te ajudar e respondo essas perguntas hoje:

O que é cofre de emergência?

Toda família deve ter uma reserva de dinheiro. Esse dinheiro deve ser acionado em casos de emergências, por exemplo: problemas de saúde, danos materiais ou pela perda de um negócio. Outra grande qualidade de fazer o “colchão” é não precisar recorrer a instituições financeiras, já que a pior escolha é fazer empréstimos ou pegar dinheiro emprestado com pessoas próximas.

Por que fazer um cofre de emergência?

Não dá para prever algumas despesas emergenciais. É inteligente estar preparado (a) para dias difíceis, e o ideal nessas situações é não precisar se preocupar com a questão financeira, afinal, outros problemas merecerão a nossa atenção.

Consigo fazer a reserva de emergência se estiver endividado?

O recomendado é sempre pagar as dívidas, para poder começar o cofre de emergência.

Quanto devo ter no cofre de emergência?

O valor da reserva de emergência é algo muito pessoal, mas uma boa dica é guardar montante de pelo menos 12 meses de despesas pagas do custo de vida. Por exemplo, uma pessoa que gasta R$ 2 mil por mês, precisa ter guardado R$ 24 mil em uma aplicação em que seja possível resgatar rapidamente e não sofra grandes oscilações do mercado financeiro.

Como começo meu cofre de emergência?

Relacione o valor de todas as receitas, dinheiro que entra, e das despesas, dinheiro que sai, para que seja possível ter controle do dinheiro e saber quanto você poderá guardar. As despesas que são supérfluos devem ser cortadas e/ou diminuídas. Dessa forma, fica fácil de pensar no valor mensal que pode ser poupado, lembrando sempre que o objetivo indicado para reserva equivale há 12 meses do valor das despesas mensais.

Leia mais sobre reserva financeira no endereço: http://1bilhao.com.br/preciso-de-uma-reserva-financeira/

Onde devo investir o dinheiro do meu cofre de emergência?

Esse é o conteúdo do nosso vídeo, e você pode assistir através do link: https://youtu.be/Qdf-G9KT-m4 . Te convido a assistir até o final para destinar suas economias e o dinheiro que você guardou para emergências em um investimento com liquidez, rentabilidade e sem volatilidade.

Um bom investimento para este começo da vida financeira não pode ter oscilação, como a bolsa de valores, por exemplo.. Isso significa que ela serve para praticamente nada. Poupança está entre os piores investimentos e o brasileiro gosta de deixar o dinheiro lá por comodidade, mas isso custa caro no longo prazo.

A modalidade do tesouro direto atrelado a Selic é uma opção ótima para investir o dinheiro do cofre de emergência, mas se você achar que essa modalidade é complicada, o tipo de investimento mais indicado é colocar o dinheiro do seu cofre em um fundo DI. Mas não pode ser qualquer fundo DI. Precisa ser um com baixa taxa de administração e de preferência, que invista em títulos públicos. O histórico de rentabilidade, ou seja, o quanto o fundo rrendeu nos últimos 12 meses e 24 meses também precisa ser olhado. Os grandes bancos possuem muitos produtos ruins.

Um fundo de investimento é quando diversas pessoas colocam seu dinheiro em um determinado investimento (fundo) e um gestor movimenta todo este dinheiro de forma conjunta. Funciona como um condomínio em que os moradores são os investidores e o síndico é o gestor. Ele cuida de todo o dinheiro arrecadado e investe da melhor forma. Existem vários tipos de fundos de investimento.

Um fundo DI se diferencia dos outros fundos porque obrigatoriamente ele possui no mínimo 95% da sua carteira em títulos do governo (como tesouro direito) ou em títulos privados de baixíssimo risco. Além disso, tanto o Banco BTG Pactual, quanto a Órama zeraram a taxa de seus fundos DI, tornando esse investimento, melhor do que Tesouro Selic.  Isso porque quando um investidor pessoa-física compra um título do tesouro direto, ele precisa pagar por ano, 0,25% para a B3, Bolsa de Valores de São Paulo.

Sobre 1Bilhão Educação Financeira

O Canal 1Bilhão Educação Financeira leva educação financeira em uma linguagem simples, resumida e disruptiva, para que o investidor aprenda a acumular riquezas, preservar o poder de compra e aumentar a sua rentabilidade com investimentos com alta expectativa de retorno. Fundado pelo jornalista, escritor e palestrante Fabrizio Gueratto, eleito em 2018 com um dos mil paulistanos mais influentes e que atua a mais de 12 anos no mercado informações financeiras. O canal tem como o slogan “investimento não é cassino” e foca em desconstruir na cabeça do brasileiro a ideia de que é preciso acertar sempre o investimento da moda. O planejamento patrimonial de qualquer pessoa, independente da sua classe social deve começar ainda na infância e continuar até o final da vida. Além disso, o conteúdo também revela as pegadinhas que existem dentro do mercado financeiro e como desviar delas.